A COMUNIDADE A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Da pichação ao grafite


Durante o mês de novembro aconteceu na Escola Municipal Professor Teófilo Moreira da Costa, integrante do BE Vargem Pequena, uma oficina de grafite que foi idealizada dentro da proposta da trilha educativa “Da pichação ao grafite”.


O BE Vargem Pequena estabeleceu parceria com a artista e escritora Rosalina Brito da Cidade de Deus. A atividade foi desenhada ao longo de todo o semestre. Durante reuniões com a direção da unidade escolar, aonde foi detectada a necessidade de trabalhar a conscientização dos estudantes com relação a preservação do patrimônio da escola.


Durante o bimestre, os estudantes da turma do Acelera fizeram diversos desenhos com a temática da preservação, e após uma reflexão sobre a importância da participação mais efetiva para a conscientização plena de todos, foi decidido que a atividade seria realizada pelos próprios estudantes, sob a orientação da parceira e da professora da turma.


A trilha educativa foi dividida em etapas, e contou com a participação e envolvimento de todos os estudantes. A trilha contou com uma palestra elucidativa sobre a diferença legal entre pichação e grafitagem, orientando os estudantes quanto a seriedade da lei que proíbe que tais manifestações ocorram sem as devidas autorizações necessárias.
 

Os estudantes se organizaram, e junto com a escritora começaram a limpar as pichações e fazer os desenhos no muro externo da escola. Eles ficaram entusiasmados e devido ao sucesso da atividade, que encontra-se ainda em fase de execução, a mesma passa a fazer parte das atividades pontuais da escola, com a ideia de envolver todos os estudantes, não só transformando antigos pichadores em grafiteiros, mas fazendo com que os mesmos que antes depredavam a escola passem a ser agora seus guardiões.

André Luiz Feital

Brincando de reciclar


Ao longo do mês de novembro, aconteceram atividades de reciclagem de garrafas pet com os estudantes do 2° e 3° ano na Escola Municipal Professor Olegário Domingues, integrante do BE Vargem Pequena. A atividade é fruto da parceria do BE Vargem Pequena com a Universidade Estácio de Sá, dando continuidade a trilha educativa "A Arca de Noé", tem como tema os animais e meio ambiente. A trilha foi iniciada no 1º semestre deste ano, e os estudantes puderam visitar as dependências do campus de biologia e veterinária da Estácio de Sá, onde foram guiados pelos próprios universitários.


Foi em uma dessas visitas que surgiu a parceria com a formanda Luciane Borges, estudante de Ciências Biológicas e idealizadora do projeto de coleta e separação de lixo em todo o campus da Universidade. Ela atendeu cerca de 60 alunos, e transmitiu  mensagens de conscientização em relação a preservação e os cuidados com a natureza, realizando uma oficina de reciclagem, onde ensinou os alunos a transformarem garrafas pet em brinquedos.



A atividade, realizada em dois momentos diferentes, encerra não só a trilha educativa "Arca de Noé", como também as atividades da escola neste ano. A trilha foi uma forma lúdica de aprender sobre reciclagem que deixou os estudantes bem envolvidas, pois aprenderam a fazer diversos brinquedos. 


O Bairro Educador agradece a coordenadora do curso de Ciências Biológicas da Universidade Estácio de Sá, e à Luciane Borges por seu comprometimento e engajamento com os estudantes da Escola Municipal Professor Olegário Domingues.

André Luiz Feital 

Rede de Proteção a Criança e ao Adolescente na Cidade de Deus


Em maio de 2012, foi iniciado o projeto Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente que está sendo coordenado por Farmanguinhos, e que conta com a parceria do Bairro Educador Cidade de Deus, para que possamos levar para as escolas, temas relevantes e de interesse dos jovem.



Pudemos contar com dois grandes parceiros para desenvolver o projeto. O primeiro deles é o Professor Cláudio Rezende que realizou um excelente trabalho com uma turma da Escola Municipal José Clemente Pereira, e o segundo é a voluntária Priscilla Andrade que participa da ASVI – Associação Semente da Vida.




Priscilla Andrade falou sobre o seu trabalho com as escolas.


“O projeto Redes de Proteção à Criança e ao Adolescente visa atender crianças e adolescentes em situação de risco pessoal, que vivem sob ameaça e violação de direitos por abandono, violência física, psicológica sexual, etc. Com base nessa proposta, o projeto foi iniciado na Escola Municipal Alberto Rangel no dia 02 de Julho de 2012, com o objetivo de fortalecer essa rede. Contamos com a participação de 43 alunos da turma do 6º ano com faixa etária de 11 a 15 anos.



Inicialmente utilizamos o vídeo “Minha vida de João” para discutir com os estudantes sobre o sexo biológico e a questão de gênero, a fim de externar os conceitos do grupo sobre as diferenças existentes entre o homem e a mulher, as desigualdades sociais, bem como o desenvolvimento do feminismo. O filme acompanha a vida de João e ilustra aspectos de uma educação sexista, situações de violência doméstica, primeira experiência sexual, gravidez da namorada, primeiro emprego, entre outros temas.


Foi falado também sobre o homossexualismo, analisando os medos que são gerados pela falta de informação. A turma participou de uma dinâmica onde foi proposto que cada grupo se colocasse no lugar dos personagens envolvidos na trama, a fim de provocar uma reflexão sobre os nossos preconceitos e medos. Destacamos como foco principal as questões ligadas à homofobia (violência contra o homossexual), ao homossexualismo (aceitação pessoal e medo da rejeição), a relação com os pais (a falta de diálogo e de companheirismo), a relação com os amigos (a aceitação e a rejeição) e a relação amorosa (a importância do uso da camisinha).




Utilizando um espelho, foi trabalhada a autoestima, com o intuito de fazer com que eles compreendam o quanto é importante se aceitar, e se amar. E que devemos respeitar as diferenças existentes entre cada indivíduo, pois ninguém é igual a ninguém. A terapia do espelho é um método que ajuda no autoconhecimento.


Os estudantes durante o encontro também tiraram dúvidas sobre a questão da sexualidade na adolescência. Através das perguntas foi possível esclarecer os seguintes pontos: o risco de gravidez, os riscos de doenças, a masturbação, a importância do diálogo com os pais, o acompanhamento ginecológico, dentre outros. Utilizamos como ilustração próteses para demonstração do uso correto da camisinha (feminina e masculina); foram dadas orientações sobre a importância da higiene íntima na prevenção de doenças, do uso de métodos anticoncepcionais, e dos riscos da relação sem proteção.


A primeira fase do projeto foi encerrada juntamente com as aulas, entretanto, há a possibilidade de ter continuidade no próximo ano com a mesma turma que estará no 7° ano. Após a sua conclusão, faremos um convite para que se tornem multiplicadores dentro da escola.


Maria do Socorro e Priscilla Andrade Mendes



quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Salada Cultural Brasileira no BE Caju



A Escola Municipal Marechal Mascarenhas de Moraes, integrante do Bairro Educador Caju, promoveu no dia 29 de novembro, com o apoio do BE, sua “Salada Cultural Brasileira”, feira na qual foram expostos os trabalhos produzidos com alunos ao longo do ano letivo.
A abertura oficial do evento foi com a execução do hino nacional brasileiro com todos os professores e seus respectivos estudantes perfilados. Logo após, a professora Moema Ribeiro da Silva explicou como surgiu a ideia do evento.

“Por conta da Lei da Igualdade Racial, nº 10.639, reforçamos o envolvimento da cultura Afro e Indígena e acrescentamos a cultura brasileira devido a história nordestina no bairro. Por isso nossa feira é uma salada de frutas nacional. 

Os estudantes puderam circular pelas salas, participar de oficinais e visitar exposições, tais como: máscaras africanas, livros africanos e indígenas, valorização do eu, oficina de trajes africanos, apresentação de capoeira, dança regional, além de assistir a vídeos que apresentavam os valores humanos.
Oficina de contos indígenas
Dentre as exposições era possível observar a “Mulher Negra Mulher”, na qual continha fotos de mulheres negras que hoje se destacam pela sua luta e determinação diária para vencer na vida, ou seja, pela sua atuação em movimentos sociais.


Exposição Mulher Negra Mulher
Para Daniel, eventos como a feira são muito importantes para os alunos. “Esses eventos são bons, pois conseguimos reunir os alunos e fazer atividades diferentes daquelas que acontecem diariamente na sala de aula. Sem falar que essas atividades são relaxantes e permitem que os estudantes desenvolvam talentos que até então não conheciam ou sabiam que possuíam”, afirmou.
Professor Daniel durante oficina de Stop Motion
 Já o estudante do 6º ano, Jordan Rodrigues, a feira permitiu conhecer um pouco mais do que irá estudar no ano que vem. “A feira além de estar muito legal, permitindo que os alunos circulem pelas salas, está me mostrando algumas coisas que irei estudar no 7º ano, com isso já chegarei melhor preparado. Sem falar que na oficina de Stop motion eu aprendi a produzir um vídeo, tirar fotos, manusear uma câmera digital. O dia valeu muito a pena”, encerrou.

O projeto Bairro Educador apoiou a unidade escolar na produção da festa e levou alguns parceiros que contribuíram expondo seus trabalhos para enriquecer ainda mais o evento. 

SESC Tijuca dá um banho de alegria na tarde dos estudantes

Na quinta feira, dia 29 de novembro, o SESC Tijuca em parceria com o Bairro Educador Borel realizou com cerca de 50 estudantes da Escola Municipal Jornalista Brito Broca localizada na comunidade da Formiga, a atividade “Um dia no SESC”.

Estudantes na arquibancada

“Um dia no SESC” trata-se de uma tarde de atividades recreativas e educativas com jogo de futebol, banho de piscina, queimado, trilha ecológica e uma apresentação do grupo “Os Tapetes Contadores de Histórias”. O grupo é formado por um elenco  de atores e contadores que desde 1998 produzem e realizam espetáculos, sessões de histórias, oficinas, exposições interativas e projetos culturais que envolvem oralidade, artes visuais e teatro.

Alunos na piscina 

Alunos no teatro

As professoras Marlene Azevedo e Patrícia Phereira acompanharam suas turmas que durante as atividades puderam interagir com estudantes de outras escolas da região da grande Tijuca como o CIEP Antoine Magarinos Torres Filho, também integrante do BE Borel. Durante a trilha ecológica as turmas conheceram Tamareiras, Pau Brasil, Manacá e ainda aprenderam dicas ambientais, como por exemplo, saber identificar nas árvores os sinais de que o ambiente está poluído.

Estudantes em semi círculo

O Bairro Educador agradece ao SESC Tijuca pela realização desta atividade e pela parceria.




Por Eliza Moreno

Dia de Festival no Rio Das Pedras


No dia 29 de novembro ocorreu na Escola Municipal Rio das Pedras, BE Rio das Pedras, o primeiro festival de talentos da escola, que contou com a participação dos estudantes. Participaram também a diretora Monica Saiago, a coordenadora pedagógica, o professor representante do Conselho Escola Comunidade (CEC) Luciano Carvalho, a educadora comunitária, oficineiros do Programa Mais Educação, funcionários da escola e responsáveis dos estudantes.


O show foi iniciado com a aluna Susan Garcia, da turma 1704, que fez uma apresentação de balé em círculo, representando o formato do planeta terra. Além disso, tiveram outras apresentações de danças coreografadas.



Na parte da tarde, os estudantes participaram das oficinas de Hip Hop, promovidas pelo Programa Mais Educação. O festival seguiu com um trio de cantores e um violinista da turma 1703, além de um solo de violão com os estudantes cantando suas músicas favoritas.


O encerramento contou com uma apresentação de dança de Salão do aluno Renan dos Santos, da turma 1804.


Após o festival, o júri (composto por três membros, dentre eles o gestor de projetos, Raphael Batista) escolheu as melhores apresentações. A Contagem dos votos foi feita a portas fechadas na direção e a premiação foi dada pela diretora Monica Saiago, onde o primeiro Lugar foi para Renan dos Santos que levou uma bicicleta para casa. O segundo lugar ficou com Susan Garcia que ganhou um DVD e o terceiro lugar ficou com o grupo musical.

Raphael Baptista

Festa Black na Escola Municipal Andrea Fontes Peixoto


Durante os meses de outubro e novembro, a Escola Municipal Andrea Fontes Peixoto, integrante do BE Pavuna, professores desenvolveram diversos trabalhos junto aos estudantes sobre a história do negro na sociedade. Todo esse processo culminou na “Festa Black”, que aconteceu no último dia 29 de novembro.


Nesse trabalho de investigação, professores e estudantes pesquisaram, desde o período escravocrata até a lei 10.639, que torna obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira em todas as escolas brasileiras, públicas e particulares, do ensino fundamental ao ensino médio.

Através dessa proposta, os estudantes de toda a unidade escolar puderam ampliar seus conhecimentos com relação à história do negro e toda a influência dessa rica e variada cultura em nossa sociedade.



Os professores aproveitaram o conteúdo curricular e correlacionaram com a temática, apresentando uma exposição de trabalhados elaborados pelos estudantes que incluía desenhos, cartazes, redações, poesias, coreografias e um esquete teatral. Acreditando na proposta educacional da unidade escolar, o Projeto Bairro Educador apresentou a iniciativa da atividade a alguns parceiros. Estes voluntariamente foram apresentar relatos sobre a história do negro e sua forma de expressão.



A atividade contou com a presença do africano Koffi Djima, que realizou uma palestra para os estudantes, onde falou sobre a África e suas tradições e como foi seu processo de imigração para o Brasil. O gestor de projetos Carlos Carvalho, apresentou a cultura do Funk de forma educativa, aproveitando rimas e poesias dos próprios estudantes sobre a violência. A culminância também contou com apresentação de DJs que mostraram um pouco de música Black.


Todas as equipes de profissionais, assim como os estudantes da Escola Municipal Andrea Fontes Peixoto, agradecem a participação de cada parceiro voluntário, o que possibilitou outro olhar para a cultura negra.

Por Déborah Sobrino

Uso da tecnologia no âmbito educacional


No início de 2012 o Bairro Educador promoveu o encontro do CDI Comunidade INPAR (Comitê para a democratização da Informática do Instituto Presbiteriano Álvaro Reis) com o CIEP Luiz Carlos Prestes, integrante do BE Cidade de Deus, para conversarem sobre uma possível parceria. A conversa teve como resultado oficinas de capacitação em informática, que levou a um grupo de professoras o conhecimento sobre a utilização de materiais como lap top e data show, e também ensinou a maximizar a utilização de programas, como Excel e Word.


As oficinas aconteceram sempre às sextas feiras com o auxílio do instrutor Luiz Felipe Hernandez, e após meses de trabalho o esforço já vem dando resultado segundo as professoras. De acordo com a professora do CIEP, Júnia Paula, o curso ampliou seus conhecimentos a respeito da tecnologia.


“O curso de Informática nos possibilitou ampliar nosso conhecimento e ajudou na diversificação com o trabalho com os estudantes como: apresentação de vídeos e o trabalho com o caderno pedagógico no Data show”.

A professora Simone de Castro falou sobre os benefícios que o curso trouxe tanto para sua vida pessoal como profissional.

 “O curso me ajudou muito, pois eu não sabia usar o excell, editar vídeos, entre outras coisas...a construção de planilhas para fazer o acompanhamento de conceitos e a apresentação de vídeos para os estudantes”, ressaltou a professora.


O depoimento da professora Alcione Correia falou sobre a importância do aprendizado, pois com as aulas aprendeu a usar o data show conectado ao computador, a baixar vídeos educativos, fazer planilhas, documentos e principalmente facilitou a utilização do caderno pedagógico. A professora também disse que foi um momento importante de integração, onde cada uma pode conhecer melhor o trabalho da outra e trocar experiências.

Já para professora Janaina Lameiras, o conhecimento em informática possibilitou que ela inovasse nas suas aulas.

“As aulas de Informática contribuíram muito para meu desempenho em sala de aula, pois me possibilitou usar a tecnologia durante as aulas”.

Acreditamos que com essa parceria alcançamos o resultado esperado que era facilitar o acesso a utilização de tecnologias, a confecção de trabalhos que permitam ao professor desenvolver sua aula com mais qualidade e principalmente na integração das professoras.

 Maria do Socorro

Projeto trabalha o tema sexualidade com alunos


No dia 29 de novembro, os estudantes do 6º ao 9º ano, e das turmas do Acelera  da Escola Municipal Presidente Roosevelt, integrante do BE Realengo, participaram no auditório da escola, da festa de encerramento dos projeto “Papo de Menina e de Menino Sem Vergonha”.


O cronograma do projeto foi construído pelos estudantes de enfermagem e pelo Coordenador do curso de enfermagem da Universidade Castelo Branco e fiscal do COREN-RJ, Bruno Barbosa. Esta iniciativa partiu dos alunos integrantes do grêmio estudantil que disponibilizou uma caixa de sugestão para todas as turmas da unidade escolar pertencentes ao 2º Segmento.


As ações do projeto foram desenvolvidas alternadamente durante os meses de agosto a novembro, em dois ambientes distintos, mediante atividades dinâmicas, a fim de atender o pedido dos alunos. Eles solicitaram que houvesse uma separação entre meninos e meninas para que ocorresse constrangimentos causados pela diversidade de temas e questionamentos a serem levantados, e assim assegurar um ambiente descontraído e sem inibições.

Segundo, Bruno Barbosa, a parceria com o Bairro Educador possibilitou o contato dos discentes com a realidade sócio educacional dos alunos pertencentes à Escola Municipal Presidente Roosevelt, com isso disponibilizou por meio da inserção do projeto o aprimoramento da formação acadêmica e profissional dos universitários do curso de enfermagem da UCB.

Noções sobre sexo, corpo feminino e masculino, ciclo menstrual, puberdade, higiene íntima, doenças sexualmente transmissíveis e métodos contraceptivos foram os principais assuntos abordados pela equipe do “Projeto Papo de Menina e de Menino Sem Vergonha”.  Além disso, foram realizadas dinâmicas como: “Beleza não é Saúde”; ”A Largada da Prevenção”; ”Casos e Acasos”; ”Eu me Conheço?” e “Vestindo-se para Festa”. As alunas também puderam visualizar peças anatômicas sintéticas tais como Diafragma e DIU.


Muitos estudantes ressaltaram que através deste projeto eles tiveram a oportunidade de refletir sobre temas ligados a sexualidade, se prevenindo de doenças e evitar uma gravidez precoce.

O Bairro Educador de Realengo/Magalhães Bastos agradece o empenho e dedicação dos estudantes de enfermagem da Universidade Castelo Branco e parabeniza a instituição pelo trabalho realizado com a escola.
Por Carmem Rosane

Cultivando a paz na Guararapes Cândido


No dia 29 de novembro, ocorreu a culminância da trilha educativa “Bons amigos cultivam a paz” desenvolvida na Escola Municipal Guararapes Cândido, integrante do BE Santa Teresa. Em parceria com direção, professores e toda equipe escolar o projeto Bairro Educador propôs aos estudantes uma discussão acerca de valores fundamentais para a vida, como amizade, respeito, perdão e paz. O tema foi proposto pela diretora Célia Ximenes que pretende criar diversos projetos e atividades dentro (e fora) da unidade escolar, que possam cultivar nos estudantes os valores necessários para que a paz seja elemento presente na vida de cada um.


Como pontapé inicial o Bairro Educador realizou neste final de ano letivo diversas atividades a cerca deste tema. A primeira atividade teve como motivador o curta metragem “Rua das Tulipas” que retrata a vida de um professor que sempre buscou ajudar as pessoas de sua rua e nunca deixou seus sonhos de lado. Esta foi uma forma de começar a cativar os estudantes para importância da discussão. Em parceria com a professora de artes, os estudantes da turma 1201 produziram uma Tulipa para ser oferecida aos pais após a primeira ação da trilha educativa. A ideia é que esta atitude repercuta com os familiares, mostrando que com eles podemos chegar a paz desejada dentro e fora da escola.


No segundo momento a turma 1201 realizou uma atividade chamada “Paz através da Música” e foram convidados a ouvir, cantar e dançar o Funk “Bulliyng não!” composto por Carlos Carvalho: músico, pedagogo e gestor de projeto do Bairro Educador. Vale a pena citar uma estrofe que os estudantes repetem nos corredores da escola:

“Se liga meu irmão Bulliyng não é brincadeira
Se você está pensando alguma besteira
Antes de você agir precisa pensar, o que você fala pode magoar
Se você já magoou preste atenção
Vá ao seu amigo e peça perdão”


Ao longo da trilha os estudantes trabalharam algumas poesias do escritor Machado de Assis, refletiram sobre os cuidados com a natureza e discutiram sobre atitudes que podem gerar a paz. Um dos focos desta trilha é mostrar que a comunicação é uma forma de evitar a violência e que podemos conversar e chegar a respostas de forma conjunta. A culminância da trilha educativa ocorreu no Cristo Redentor, em parceria com a Estação de Ferro do Corcovado. Foi um momento de muita diversão e comprometimento de todos no cultivo de boas ações dentro e fora da escola.


“Hoje, nós, estudantes, professores e educadores da Escola Municipal Guararapes Cândido diante da beleza desta cidade queremos firmar nosso pacto pela paz”, disseram os alunos.



Por Eduardo Bertoche


Feira Cultural divulga trabalho de estudantes na Pavuna



A Escola Municipal Escultor Leão Velloso, integrante do Bairro Educador Pavuna, promoveu no dia 28 de novembro uma Feira Cultural que foi resultado da mostra de trabalhos produzidos no último bimestre. Temas como reciclagem, meio ambiente, centenário de Luiz Gonzaga, Fábulas, poesias produzidas pelos alunos e visita ao Museu Aeroespacial foram expostas na atividade.
Durante o cine pipoca, o documentário “Uma história do Futebol (Paulo Machline, 1998)” que conta a história da infância do maior jogador de todos os tempos, Pelé, foi exibido para os alunos.
Estudantes do 8º ano, da professora Mônica do Nascimento, fizeram uma apresentação de dança que animou todos os presentes. Um outro grupo ainda cantou uma música de despedida para os alunos e professores que estarão deixando a escola ao final deste ano, causando grande comoção em todos os presentes.
DJ's Aurea e Marcinho com estudantes da escola
Logo após, os DJ’s Aurea e Marcinho fizeram uma apresentação sobre seus trabalhos, as dificuldades do trabalho na noite, da competitividade no mercado e da importância para os alunos dos estudos, pois independente da carreira que desejam seguir na vida, é necessário não deixar de estudar.

Por Thiago Maia