A COMUNIDADE A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO


sexta-feira, 30 de março de 2012

Oficinas de expressões artísticas complementam conteúdo de ciências



Nesta sexta feira, dia 30/03 o Bairro Educador realizou a oficina de capacitação em expressões artísticas (pinturas), onde qualificou o professor da classe especial (DI 2) do CIEP Hélio Smidt do BE Maré. Complementando o tema do planejamento do professor: O corpo humano: cabeça, tronco e membros, a oficina trabalhou com pinturas feitas a partir dos movimentos das mãos, iniciando com uma reflexão sobre o uso e as funções das mãos.


O aluno da classe especial pintou as impressões das mãos a partir dos movimentos de jogar vídeo-game. Já a aluna Jéssica imprimiu os movimentos das mãos ao lavar louças. Além do trabalho de pintura, foi feito uma roda de debate sobre funções exclusivas das mãos em vários usos como na comunicação entre surdos-mudos e em brincadeiras que foram repetidas pelos alunos, como adoleta, par-ou-ímpar e mímica, onde eles fizeram uma disputa entre grupos: de um lado os “lave suas mãos” e do outro o “ler as mãos”.



No final da atividade os alunos fizeram a montagem de um mural para expor os trabalhos construídos na oficina.

A atividade articulada pelo Bairro Educador agregou divertimento aos novos conhecimentos dos alunos.

quinta-feira, 29 de março de 2012

“Formação do Povo Brasileiro” - Branco, Negro e Índio

A Escola Municipal Costa do Marfim, BE Realengo/Magalhães Bastos, realizou nesta sexta-feira, 29 de março, a abertura da Trilha Educativa “Formação do Povo Brasileiro”, que contou com um festival de danças e uma palestra sobre cultura africana. Este será o tema da trilha a ser desenvolvido por todos os professores da unidade escolar com os estudantes em sala de aula, além de responsáveis e comunidade do Jardim Batan.


O tema surgiu a partir de uma conversa entre a gestora de projeto do Bairro Educador, a coordenadora pedagógica, diretora e professores da unidade escolar. Foram observados que alguns conflitos existentes na escola eram de intolerância religiosa. E que estes conflitos, que aconteciam também no entorno da escola, teve origem pela falta de conhecimento sobre as origens os costumes e as heranças do povo brasileiro.


A abertura do evento contou com a presença do palestrante João Carlos Araújo da Fundação Palmares - Ministério da Cultura, apresentações de cantigas de danças Maculelê, Samba de Roda e Cafezal com mestre de capoeira, Renato Branco, e o percussionista Marcão, do Projeto “Mais Educação”.



As atividades desenvolvidas pelos docentes abrangerão as culturas branca, negra e indígena, sobre diversos aspectos culturais e serão realizadas durante todo o mês de abril para os responsáveis, estudantes e comunidade do Jardim Batan.




Estudantes destacam a importância dos Grêmios nas escolas


Na quinta feira, 29/03, representantes dos Grêmios Estudantis das unidades escolares: Escola Municipal Aldebarã, Escola Municipal Evaristo de Moraes, Escola Municipal Gastão Penalva e Escola Municipal Tatiana Chagas Memória tiveram a oportunidade de participar do Programa ZoaSom, exibido pela Rádio MEC. O programa vai ao ar todas as quintas-feiras, das 14 às 15 horas. 


Gestoras de Projetos do Bairro Educador e representates dos Grêmios Estudantis


Estudantes da Escola Municipal Evaristo de Moraes, integrante do Bairro Educador Santíssimo, opinaram sobre o que deve ser mudado na estrutura dessa unidade escolar no quadro: “Diz aí Escola”.

O Grêmio Estudantil é resultado da articulação realizada entre o Bairro Educador e estas escolas. O objetivo do Grêmio é integrar os estudantes nas atividades escolares, tornando-os mais participativos, para que estes opinem sobre as melhorias na qualidade de ensino e desenvolvam um senso crítico, tornando-se cidadãos atuantes.

O estudante da 6ª série, Manoel Rezende, é aluno da Escola Municipal Evaristo de Moraes e secretário de esportes do Grêmio da escola. Ele contou que ficou muito feliz em participar do Programa ZoaSom e agradeceu ao Bairro Educador pela iniciativa de auxiliar a escola a implementar um Grêmio Estudantil.

Através do Grêmio aprendi muitas coisas, tenho mais responsabilidades dentro da escola e participo de todas as reuniões. Fui convidado por um amigo a participar do Grêmio e estou muito feliz por isso. – ressaltou Manoel.


A estudante da 7ª série, Laryssa Costa, é representante do Grêmio Estudantil da Escola Municipal Gastão Penalva, BE Inhoaíba. Segundo Laryssa, participar do Grêmio a tornou mais ativa na escola.
Á esquerda (frente) : a estudante Laryssa Costa e representantes do Grêmio da Escola Municipal Gastão Penalva


Quando entrei para o Grêmio, comecei a me inteirar mais nos assuntos da escola, e com isso me tornei mais participativa. Aprendi muitas coisas e percebi que o Grêmio busca melhorar tudo na escola.


Segundo a representante do Grêmio Estudantil da Escola Municipal Aldebarã, BE Santa Cruz, Revellin Dominique de Lima, do 9º ano, seu aprendizado e comportamento melhoraram bastante após ingressar no Grêmio Estudantil.


Gestora de Projetos - Priscila Teixeira e estudantes: Sara Estefany Ribeiro, , Amanda da Silva e Revellin Dominique de Lima


O Grêmio e o Bairro Educador estão fazendo mudanças na minha escola e ao participar do Grêmio aprendi muitas coisas novas.

No ano de 2012, uma das principais áreas de atuação do BE é incentivar a promoção de grêmios, nas escolas, pois essa iniciativa ajuda os jovens a se tornarem cidadãos conscientes de seus deveres e obrigações.

Por Ana Paula Santana

A união faz o circo no Guararapes

No último dia 29 de março, a Escola Municipal Guararapes Cândido, BE Santa Teresa, foi palco de comemoração do mês do circo. A presença do palhaço Balú (convidado do estagiário de informática, Eduardo Bertoche), do malabarista e educador Nego da Bahia e da ONG Se Essa Rua Fosse Minha, animou os alunos, professores, funcionários e parceiros.

Palhaço Balú e Nego da Bahia


A festa do circo inaugura a nova fase da escola, na qual a diretora Célia Regina Ximenes, pretende utilizar atividades culturais como instrumentos de incentivo ao interesse dos estudantes. A ideia é estimular os estudantes a se empenharem para participar das atividades promovidas pela escola. Toda a equipe escolar se dedica em promover ações que motivem a permanência interessada dos alunos, para isso eles devem apresentar um bom comportamento e desempenho na escola.

Apresentação com fogo do malabarista e educador Nego da Bahia da ONG "Se Essa Rua Fosse Minha"


A ONG Se Essa Rua Fosse Minha utiliza da arte circense como prática pedagógica e realiza diversos projetos para crianças e jovens moradores de rua. O projeto Dando Bola pra Vida, desenvolve atividades para crianças e adolescentes da comunidade do entorno da Escola Municipal Guararapes Cândido e alguns alunos da escola também são atendidos por este projeto.


A união dos funcionários, professores, estagiários, Programa Saúde nas Escolas (PSE) e do projeto Bairro Educador, foi fundamental para garantir uma tarde de festa e atrações circenses.





Alunos de Grêmios Estudantis visitam a Rádio MEC


Nesta última quinta -feira, 29/03, representantes dos Grêmios Estudantis de 4 unidades escolares: Escola Municipal Aldebarã, Escola Municipal Evaristo de Moraes, Escola Municipal Gastão Penalva e Escola Municipal Tatiana Chagas Memória  visitaram a Rádio MEC e assistiram ao vivo o Programa ZoaSom, uma produção da ONG Criar Brasil.

Integrantes da Orquestra de Cordas da Grota, apresentadores do Programa ZoaSom, Bárbara Helga e Palhaço Topetão 


O Programa homenageou o dia do circo, comemorado em 27/03, e trouxe como atração o palhaço Topetão, interpretado pelo artista circense: Renato Ferreira. Ele falou sobre sua trajetória de vida e ressaltou a importância dos projetos sociais levarem as crianças a picadeiros, para que estes possam conhecer de perto a arte circense.
Passei por muitas dificuldades até chegar onde estou. Acredito que o maior objetivo de todo artista circense é resgatar a antiga tradição das famílias irem ao circo e sentirem a magia trazida pelo espetáculo. Graças às iniciativas dos projetos sociais, a procura ao circo vem aumentando a cada dia – disse Renato.
A parceria entre o Bairro Educador e o Circo Marcos Frota, há cerca de 1 ano, proporciona aos alunos das escolas da rede pública de ensino, atendidas pelo projeto, gratuidade na entrada de espetáculos do circo.
Em entrevista à Rádio MEC, por telefone, o coordenador da Funarte (Fundação Nacional de Artes), Marcos Teixeira, ressaltou sobre a implantação de novas ações legislativas para estes artistas e afirmou que o circo, no Brasil, é considerado uma grande manifestação cultural.
“A Funarte já trabalha com ações de financiamento e oferece capacitação para os novos artistas. Além disso também cuidamos das ações legislativas, no que diz respeito aos profissionais do circo” – explicou o coordenador.

Bárbara Helga, coordenadora pedagógica do Profac – Programa Circo Social Crescer e Viver, destaca a chegada de novas tecnologias no espaço circense e a importância da presença do circo nas escolas.

O Circo Social Crescer e Viver realiza atividades em algumas escolas, pois é importante que a unidade escolar abra seu espaço para essa manifestação cultural e artística. Nossa finalidade é entrar nas escolas como um fator cultural, e não educacional. Como hoje está proibido o uso de animas no circo, foi necessário desenvolvermos novas tecnologias que nos auxiliem neste contexto, como por exemplo a criação de animais robóticos – comentou Bárbara.

Por Ana Paula Santana

quarta-feira, 28 de março de 2012

jogos cooperativos

Na quarta-feira, 28/03, o gestor de projetos do Bairro Educador Complexo do Alemão, Bruno Aguiar, realizou uma oficina de mobilização estudantil, com representantes de turma da Escola Municipal Mourão Filho.

As atividades desta oficina estavam relacionadas aos conteúdos de português e matemática. Por meio de dinâmicas de grupo e produção textual, os estudantes foram estimulados a compreender alguns princípios do movimento estudantil, tais como a participação, comunicação e escuta. Na "dinâmica da teia", por exemplo, os estudantes foram levados a entender que qualquer trabalho desenvolvido na escola pode ser ampliado e ter maior adesão dos colegas, se a opininão dos mesmos for levada em consideração e se o trabalho for desenvolvido de forma coletiva.


Este foi o primeiro de uma média de quatro encontros, nos quais se pretende fortalecer e qualificar o trabalho do grêmio estudantil e dos reprsentantes de turma. O Trabalho foi pensado junto à coordenadora pedagógica e executado com o apoio da educadora comunitária.


O Bairro Educador acredita que com o fortalecimento do movimento estudantil é possível desenvolver questões como mobilização e representatividade, elevando a autoestima dos estudantes, introduzindo-os no debate da gestão escolar democrática.

Por Bruno Aguiar

Jardim Maravilha: uma comunidade de Mães Maravilhas e Super Pais


No dia 28 de Março aconteceu o primeiro encontro de responsáveis dos alunos do CIEP Posseiro Mário Vaz, na comunidade Jardim Maravilha, Bairro Educador Guaratiba/Pedra de Guaratiba. O encontro foi uma parceria entre a unidade escolar, o Projeto Bairro Educador e o Programa Saúde nas Escolas (PSE) na tentativa de incentivar a participação dos pais na vida escolar de seus filhos.
 
Os primeiros contatos foram realizados no horário de entrada dos dois turnos com propósito de formar um núcleo de responsáveis na escola, para que possam ser representantes dos demais pais estreitando o diálogo entre comunidade e direção.

Durante a reunião foi apresentado aos pais o que significa ter os filhos matriculados em uma Escola do Amanhã. Uma mensagem foi lida e tinha como tema central a importância deles serem participativos na vida dos filhos. Foi destacada também a importância da qualidade e não da quantidade do tempo que eles passam com as crianças. Em seguida foi realizada uma dinâmica que mostrava aos pais a dificuldade de um único professor acompanhar 40 crianças e foram apresentadas estratégias de como eles podem colaborar.

A atividade foi encerrada com uma canção gospel, que fala sobre amor e respeito. Foi disponibilizada uma urna onde os responsáveis deixaram sugestões de temas para serem trabalhados nos próximos encontros.

Clube de Responsáveis – Mulheres Preciosas

No dia 28 de março, aconteceu o primeiro encontro do grupo Mulheres Preciosas, formado pelas responsáveis dos estudantes da Escola Municipal Paula Fonseca, pertencente ao Bairro Educador Madureira.

O Clube de Responsáveis (Mulheres Preciosas) é um espaço onde as famílias se encontram para trocar experiências, receber orientações e esclarecer dúvidas, estabelecendo assim, uma relação de confiança e cooperação com todo o corpo docente.

Alguns questionamentos foram colocados em pauta entre as responsáveis e a comunidade escolar, como por exemplo: Como fazer com que os responsáveis participem mais da vida escolar dos filhos? Como trazer os responsáveis para mais perto da escola? A partir destes questionamentos surgiu a ideia de iniciar o Clube de Responsáveis na escola. A diretora Mariléa Mendonça, a diretora adjunta Ana Carolina Ribeiro  e a Gestora de Projeto do Bairro Educador, Fabiana Dias são as principais responsáveis pela formação do grupo.

Durante o encontro, foi debatido o tema: “A valorização da mulher”, pois a figura feminina vem conquistando cada vez mais o seu espaço na sociedade.


As participantes exemplificaram as vitórias e os desagrados que enfrentam no dia-a-dia. Além disso ressaltaram a união e o respeito, cultivado entre elas. O Clube Mulheres Preciosas já tem uma agenda para os próximos encontros com temas escolhidos por elas.



Através desta atividade, a equipe do Bairro Educador pretende fortalecer a relação de parceria e cumplicidade entre as responsáveis dos estudantes, com a direção e coordenação pedagógica, fazendo com que estas participem e dividam as responsabilidades, junto à comunidade escolar.



Escola do Amanhã participa do I Festival Gastronômico do Complexo do Alemão


Neste sábado, 24/03, o Complexo do Alemão participou do Primeiro Festival de Gastronomia organizado pela Frente Humanitária de Intervenções Organizadas (FHIO). “Complexo das Delícias” foi o apelido dado pela FHIO ao festival.

O evento contou com a participação de comerciantes locais, grupos ligados à economia solidária, representantes de instituições e associações locais e instituições de ensino. Dentre estas, houve a presença dos alunos da Escola Municipal Professora Vera Saback Sampaio, que prepararam e serviram o Suco da Horta, feito com maracujá, limão e couve.


A escola foi representada pela diretora Darléia Gomes, a coordenadora pedagógica Andréa Gonçalves e a mãe representante Andréa Taveres, mas as grandes estrelas do evento foram as estudantes Kethryn Cristina dos Santos e Sabrina Jorge Nunes, que explicaram um pouco do que aprenderam enquanto faziam o suco e falaram sobre os benefícios do mesmo para a saúde.
O “Suco da Horta” foi uma das receitas apresentadas no evento “Degusta, Alemão!” em 2011. Nesta ocasião o evento teve como proposta o aproveitamento integral dos alimentos.



Os estudantes foram entrevistados pela equipe de reportagem da rede Bandeirantes, valorizando o trabalho educativo desenvolvido pelas Escolas do Amanhã, apoiadas pelo Bairro Educador (BE). A matéria foi ao ar  no dia 24/03, na edição da tarde do Jornal do Rio (Rede Bandeirantes).

A equipe do BE agradece à Escola Municipal Professora Vera Saback Sampaio por ter representado as escolas do bairro que fazem parte do projeto. Fica aqui também o nosso agradecimento à FHIO pelo apoio à participação da escola neste evento.


terça-feira, 27 de março de 2012

Pintando Tarsilinha

No dia 27 de março, aconteceu na Escola Municipal João Gualberto Jorge do Amaral a segunda etapa da ação pedagógica, organizada pelo Bairro Educador Paciência: Conhecendo o Mundo de Tarsila. Cerca de 120 alunos do 5º ano participaram desse segundo momento transformando as pesquisas feitas na internet em arte. Em grupos os alunos, puderam utilizar tintas, experimentar cores e observar todo o processo de construção das obras de arte.
Descobrindo as cores de Tarsila do Amaral


Nesta etapa do projeto, os quadros da artista plástica Tarsila do Amaral são observados, estudados e reproduzidos pelos alunos, a partir das orientações dadas pelos professores e pela gestora de projetos do Bairro Educador: Francelaine Moura. Utilizando o papelão e papel 40k para a construção das telas, os alunos puderam entender a mistura das cores, desvendar as formas que compõe um quadro artístico e com a ajuda do grupo, compor a própria obra de arte.
A princípio os alunos ficaram temerosos com a responsabilidade e o desafio, mas com o decorrer da atividade puderam sentir o prazer da produção.
“Eu nunca fiz nada parecido. Fiquei feliz com o resultado do nosso grupo” - avaliou a aluna Raquel da turma 1501.
Alunas da turma 1502: Lorena, Maria e Beatriz


Alunas da turma 1501: Marta, Eduarda e Francisca


Após os ‘quadros’ secarem, foi feita uma pequena mostra, do que foi produzido pelos alunos ao longo do dia. Os alunos participantes ficaram motivados ao verem seus trabalhos expostos para toda a escola e responsáveis.
Alunas da turma 1503: Silvia, Fernanda e Priscila


O projeto Conhecendo o mundo de Tarsila consistiu em duas etapas, primeiro o conhecimento da artista e sua obra através de jogos e segundo momento de produção artística. No fim desses dois encontros foi possível percebermos a importância do processo educativo para as aulas-passeios. É necessário um conhecimento prévio do aluno, do contexto histórico e cultural para que a apropriação do conhecimento seja integral.


Bairro Educador Bangu contando histórias



A arte de contar histórias é uma prática milenar que teve início nos primórdios da humanidade por meio da tradição oral, sendo intensificadas na Grécia Antiga e no Império Árabe – por meio das histórias presentes na obra “As mil e uma noites”, contadas por Sherazade. Essa arte amplia o universo literário, desperta o interesse pela leitura e estimula a imaginação através da construção de imagens interiores. Narrar uma história será sempre um exercício de renovação da vida, isto é um encontro  com o imaginário, que também traz o desafio de construir um final a maneira de cada leitor/ouvinte.


Algo semelhante aconteceu na Escola Municipal Ayrton Senna da Silva no Bairro Educador Bangu, onde os alunos do primeiro turno conheceram um mundo de surpresas e muita imaginação, guiados pela contadora de histórias Thaiane Leal. Eles “viajaram até o fundo do mar” e descobriram a aventura de uma menina chamada Flor, onde sua história é contada através de uma canção da artista Bia Bedran. A contadora de histórias foi surpreendida com um coral de alunos que cantaram a canção da história.



Em 2011 o Bairro Educador em parceria com o Coletivo Peneira, que dentre outras atividades promoveu o espetáculo “Urucuia Grande Sertão” nos micro territórios de paz na Zona Oeste, foi apresentado à contadora de histórias Thaiane Leal que integra o Coletivo Peneira. A partir das demandas das escolas do BE Bangu e BE Jabour a contadora de história tornou-se voluntária.
No BE Bangu a solicitação partiu da diretora adjunta da Escola Municipal Ayrton Senna que é fã dos contos.  A escola possui no turno da tarde a oficina do projeto Mais Educação: “Os Tapetes contadores de história” e o Bairro Educador através desta atividade possibilitará o desenvolvimento da leitura de toda a unidade escolar.


A contação de histórias age na formação da criança em várias áreas. Contribui no desenvolvimento intelectual, pois desperta o interesse pela leitura e estimula a imaginação por meio da construção de imagens interiores e dos universos da realidade e da ficção, dos cenários, personagens e ações que são narradas em cada história.
As histórias também desenvolvem uma função de construção de conhecimento social da realidade junto a formação de valores e conceitos, pois embora seja ficção, o texto literário tem o poder de revelar a realidade social e até desmascarar suas mentiras, de forma que: “a ficção pode ser mais real que o que se quer real, e o real pode ser mais ficcional que o que se quer ficcional” (Roland Barthes).


Em uma sociedade tecnicista como a atual, contar e ouvir histórias é uma possibilidade libertária de aprendizagem e uma atividade de suma importância na construção do conhecimento e do desenvolvimento ético e significativo da criança enquanto ser humano.


video

Lixo e cidadania

Na última terça – feira, 27 de março, a Escola Municipal Prudente de Moraes trabalhou com os alunos do 5º ano a questão da cidadania e desenvolvimento sustentável, a partir das oficinas de educação ambiental.  As oficinas terão como foco os problemas causados pelo lixo, onde será discutido como a comunidade escolar enfrenta esta dificuldade, exercitando a cidadania do aluno.

O tema debatido no primeiro encontro foi cidadania. Foi recolhido um material para avaliar o conhecimento dos alunos sobre o assunto. Nos próximos encontros serão reforçados os seguintes temas: problema do lixo na comunidade, na cidade e no mundo,  coleta seletiva e reciclagem.  A sustentabilidade também será trabalhada com os alunos, a partir da reciclagem do papel, que costuma ser descartado durante as aulas.

As oficinas têm como objetivo conscientizar os alunos sobre as questões ambientais. Eles irão realizar trabalhos para serem apresentados na  Rio +20 (Conferência das Nações sobre Desenvolvimento Sustentável), que acontecerá em junho deste ano. Essas atividades irão dialogar com as disciplinas do currículo escolar dos alunos, auxiliando o  trabalho do professor.

Por Suelem Assunção

Conhecendo a ciência de uma forma lúdica



Na terça-feira, 27 de março, os estudantes da Escola Municipal Francisco Cabrita, BE Bispo, tiveram a oportunidade de conhecer a Ecobé Projetos Pedagógicos, parceira do Bairro Educador desde março de 2011.  Os estudantes da turma 8302 foram ao espaço e observaram alguns animais e “brinquedos” pedagógicos. A professora Mônica Nunes procurou o Bairro Educador demonstrando interesse na visitação.

Monitor explicando o conceito de Ilha de Calor

A visita possibilitou uma maior aproximação do conteúdo estudado pelos estudantes, tornando o aprendizado mais significativo, principalmente por fazer “fronteira” com a Floresta da Tijuca. A professora aplicou o projeto da Revista Ciência Hoje: “Meu Compromisso com o Meio Ambiente” e essa atividade foi agregada ao planejamento da professora dentro da disciplina de ciências.

Alunos observando a Floresta da Tijuca

Outro fato de grande importância foi a visualização de vários tipos de hortas, visto que a professora deseja fazer uma horta suspensa com a turma. O monitor que mediou a visitação fez algumas intervenções dando dicas sobre a montagem e manutenção da mesma.



Monitor mostrando modelos de horta

O “repórter por um dia”, um dos estudantes selecionados pela turma, fez as devidas anotações do que foi visto e dito pelo monitor. A professora fez vários links com os conteúdos de ciências, ressaltando a questão de sustentabilidade e preservação da natureza.





O Alemão nas telas da Educação

A equipe da FHIO (Frente Humanitária de Intervenções Organizadas), foi convidada para participar do evento: “Alemão nas telas da Educação” e está promovendo diversas atividades de pintura em tela, inspirada na beleza do Complexo do Alemão. Os encontros ocorreram entre os dias 07 e 22 de março com os estudantes de 4º e 5º da Escola Municipal Professor Affonso Varzea, que contam com o apoio do Trabalho Social do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).


A responsável pelo desenvolvimento das ações é a pedagoga Mônica Rodrigues que construiu com os estudantes os croquis e a pintura. A ação foi articulada pelo gestor de projeto Bruno Aguiar do Bairro Educador (BE) Complexo do Alemão e a artista Danielle Penna da FHIO. Eles mostraram a importância das ações de articulação no território para contribuir com o desenvolvimento de uma Educação Integral e de qualidade.



As obras dos estudantes ficarão expostas no evento “Circuito Gastronômico do Complexo do Alemão”, que aconteceu no sábado, 24/03 na estação do teleférico do Morro do Adeus. É importante ressaltar que o desdobramento educativo do Degusta Alemão – 2ª edição, realizado em novembro de 2011, ainda está em andamento.



A série de atividades fez com que os estudantes trabalhassem mais a criatividade, habilidades motoras e artísticas, contribuindo para o desenvolvimento e formação integral dos mesmos.


A equipe do BE Complexo do Alemão agradece à FHIO pela iniciativa e apoio.



segunda-feira, 26 de março de 2012

Canal Futura e Bairro Educador

O Canal Futura e a Fundação São Joaquim, com apoio do programa UPP Social, inauguraram uma unidade do projeto Sala Futura no Complexo do Borel, na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro. O lançamento aconteceu no dia 15/03/2012 e contou com a presença da Rede Social Borel, do qual faz parte o Projeto Bairro Educador.

Leia mais no site: http://www.futura.org.br/sala-futura-chega-ao-complexo-do-borel/

Escolas de Anchieta visitam os “Territórios Descobertos” do Museu de Arte Moderna



No mês de março as escolas do Bairro Educador Anchieta visitaram o Museu de Arte Moderna (MAM), localizado no Aterro do Flamengo, e realizaram as atividades denominadas “Territórios Descobertos”.
A Escola Municipal Mario Piragibe foi a primeira delas, com 35 alunos das turmas 1504, 1302 e do Acelera, além de professores e funcionários.  A Escola Municipal Lúcio de Mendonça foi representada por 26 alunos da turma 1502

“Alunos da E. M. Mario Piragibe fazem pose de cristo redentor em frente ao mar”.

O passeio foi repleto de descobertas, desde a saída da escola passando por construções novas e antigas além dos pontos turísticos da cidade. Os alunos ficaram encantados ao passarem pelo aeroporto e verem os aviões e pelo porto quando viram os navios. Nada passou despercebido, desde a Avenida Brasil, a ponte Rio-Niterói, passando pelo cemitério do Caju. Olhos atentos e sorrisos abertos ao percorrem parte da sua própria cidade “desconhecida”.



“E. M. Lúcio de Mendonça na chegada ao museu

A Escola Municipal Hildegardo de Noronha foi a última escola a realizar a aula-passeio. Disfrutaram da atividade os alunos do 3º e do 4º ano, e da diretora. 

“Alunos da E. M. Hildegardo de Noronha posam de artistas emoldurados”
O direito à cidade, que para muitos pode ser considerado comum, infelizmente ainda é raridade para boa parte da população residente na região de Anchieta, por isso, o Projeto Bairro Educador reconhecendo a necessidade e a importância do acesso dos espaços, busca parceiros e não poupa esforços para contribuir com o esse direito. 

Agradecemos a equipe educativa do MAM pela excelente receptividade para com todas as escolas, pelo empenho em contar a história do museu, em apresentar as exposições da coleção de “Gilberto Chateaubriand” da parte interna e o jardim, onde os estudantes brincaram e se encantaram ao ver o mar, o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor. Os jovens ainda aprenderam “técnicas” para enquadrar objetos de fotografia, fizeram desenhos das obras preferidas, e posaram como verdadeiros artistas.