A COMUNIDADE A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO


sábado, 30 de março de 2013

Estudantes ampliam aprendizado sobre reciclagem


O Bairro Educador Vargem Pequena em parceria com Luciane Borges, bióloga do Projeto Preserva, realizou durante o mês de março, oficinas de produção de brinquedos nas Escolas Municipais Embaixador Ítalo Zappa e Professor Olegário Domingues, com o intuito de promover a discussão sobre reciclagem e reaproveitamento de materiais.



Durante a realização das oficinas, os estudantes puderam discutir sobre o destino dos materiais que são diariamente descartados na natureza, ou levados ao lixo de forma indevida, criar brinquedos e utensílios elaborados a partir de garrafas PET, e reaproveitar diferentes tipos de plásticos e papéis que supostamente não teriam mais utilidade.


O projeto teve início quando Luciane era ainda estudante do curso de Ciências Biológicas da Universidade Estácio de Sá -  também parceira do Bairro Educador, e após o contato com os estudantes em visita ao campus em 2012, nasceu a ideia de expandí-lo  para as escolas e a comunidade como um todo. A proposta foi imediatamente aceita pelas unidades escolares, pois as atividades estavam diretamente relacionadas com  suas orientações curriculares.



O Bairro Educador de Vargem Pequena, junto às Escolas Municipais Olegário Domingues e Embaixador Ítalo Zappa agradecem a parceria, que possibilitou atividades diferenciadas para os estudantes, ampliando seus conhecimentos.

Por André Feital

quinta-feira, 28 de março de 2013

Atividade estimula a valorização do bairro


O Bairro Educador Marechal Hermes, vem desenvolvendo ao longo do mês de março,  atividades educativas sobre a importância histórica do bairro de Marechal Hermes com os estudantes do 4º e 6º ano da Escola Municipal Paraguai.


Durante a atividade foram abordadas informações sobre a história da construção do bairro, imagens antigas do local, mapeamento dos bairros próximos e das ruas principais. Eles também aprenderam sobre as diferentes construções da localidade, articulando este tema com o conteúdo pedagógico de geografia trabalhado em sala de aula. Os estudantes participaram e opinaram sobre as informações apresentadas, principalmente os do 6º ano que já haviam estudado e pesquisado sobre o assunto com o professor da turma.

As atividades foram iniciadas com uma apresentação do projeto Bairro Educador, e em seguida foi feito um panorama geral sobre o bairro, situado na zona norte do Rio de Janeiro. A gestora de projeto do BE mostrou as imagens antigas e atuais da Estação Ferroviária e explicou que o bairro passou por diversas mudanças durante este período. Alguns alunos pontuaram mudanças significativas como, por exemplo, a construção da Clínica da Família no lugar do Parque de Diversões e da UPA 24 horas, localizada ao lado da FAETEC.

As turmas foram participativas e foi agendado para o próximo mês um circuito educativo no bairro para a observação do espaço e a construção de um painel com as imagens fotografadas pelos próprios estudantes.

Por Patricia Reis

Trabalhando a diversidade na escola


O BE Madureira está desenvolvendo o Projeto “Somos Todos Especiais” com os estudantes do CIEP Metalúrgico Benedicto Cerqueira. Este projeto trabalha a questão da diversidade que existe no ambiente escolar, estimulando o respeito às diferenças e ao próximo.


Os encontros educativos acontecem semanalmente e têm por objetivo sensibilizar os estudantes para uma reflexão sobre a importância de respeitar as diferenças entre eles, sabendo que a diversidade cultural está presente diariamente no contexto escolar, se expressando na nossa música, dança, culinária, língua portuguesa e outras atividades do cotidiano.


As atividades foram planejadas de forma atrativa, para serem executadas em grupo, promovendo dessa forma a interação entre os alunos através da exibição de filmes, realização de dinâmicas e produção de cartazes. Estas atividades são realizadas com todos os estudantes da escola, uma vez que a proposta dialoga diretamente com o Projeto Político Pedagógico da mesma.


Nessa perspectiva, as ações pedagógicas do projeto “Somos Todos Especiais” estão diretamente ligadas ao currículo escolar, que tem como objetivo assegurar a formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais.


Diversificar não significa formar grupos homogêneos com as mesmas dificuldades, mas a diversidade existente no grupo favorecerá a troca de experiência e o crescimento de cada um.

O BE agradece à coordenadora pedagógica Alba Bordes que incentivou e apoiou todas as ações pedagógicas propostas no projeto em questão.

Por Fabiana Dias

Abrindo as portas para o futuro


No dia 27 de março, o BE Madureira promoveu um encontro com os estudantes do 9º ano da Escola Municipal Mendes Viana, a fim de iniciar o plano de trabalho sobre o tema: “Projeto de vida”.

A carreira profissional é uma decisão importante na vida de todo jovem e por este motivo, esta atividade pretende auxiliar os estudantes no processo de escolha sobre que carreira seguir.


Inicialmente, a gestora de projeto Fabiana Soares realizou uma roda de conversa falando sobre as perspectivas dos estudantes em relação à carreira profissional, ressaltando a importância dos estudos para um futuro bem sucedido.

Foi realizada uma pesquisa com os alunos com o objetivo de identificar as profissões que eles gostariam de saber informações. A partir disso, os estudantes destacaram algumas profissões que têm pretensão em seguir.

Durante a realização da atividade, muitos alunos se mostraram entusiasmados: “Quero seguir a carreira militar, mas tenho muitas dúvidas a respeito dela.” Comentou uma estudante da turma 1903.

A coordenadora pedagógica da escola também elogiou a proposta. "Nossos jovens precisam dessas informações. Quanto mais cedo conhecerem o universo das carreiras, melhor para o momento da escolha. Esse incentivo é fundamental para eles.”

Por Fabiana Soares

“Viajando pelo mundo da arte”


Foi lançado no dia 27 de março, para estudantes e parceiros da escola o Projeto Pedagógico anual do CIEP Gregório Bezerra, BE Penha, cujo, o tema é “Viajando pelo mundo da arte – CIEP atelier do artista”.


O Bairro Educador irá contribuir com o PPA da unidade escolar desenvolvendo o projeto “Música e letramento”, pois uns dos objetivos da proposta pedagógica é fazer com que os estudantes tenham acesso a diferentes gêneros musicais, integrando a música às demais modalidades artísticas.



A coordenadora pedagógica Carmem Lúcia Barreiros, solicitou que o Bairro Educador desenvolvesse o projeto com as turmas de 4° ano, com auxílio das professoras.

Coordenadora pedagógica Carmem Lúcia Barreiros e Maristela Andrade (gestora de projeto do BE)

Há uma perspectiva positiva em relação ao tema proposto pela escola, tendo em vista que cada segmento irá trabalhar uma determinada arte. Dentre as artes trabalhadas estão: arquitetura, dança, música, artesanato, escultura, pintura, escrita, fotografia, teatro e cinema.


Por Maristela Andrade

Integração entre projetos em prol da boa convivência


Nesta terça-feira, dia 26 de março, o Bairro Educador Maré e o Programa Saúde na Escola (PSE), ofereceram uma palestra aos estudantes da turma 1201 do CIEP Presidente Samora Machel, abordando os temas "violência e bullying".



O convite para participação do BE foi feito pela técnica do PSE Angela Luz. A mesma percebeu que a turma estava com problemas de relacionamento interpessoal e muitos não percebiam que determinadas "brincadeiras", refletiam em comportamentos que prejudicavam a saúde emocional de alguns estudantes.  A técnica, por meio de um bate papo com os estudantes, explicou o que era o bullying e como isso pode prejudicar o relacionamento entre eles.


Ao longo da palestra o assunto em questão era de interesse comum entre os estudantes da turma, que em sua maioria participaram questionando, perguntando e aprendendo sobre o tema abordado.

No final do encontro foi possível concluir que a mensagem “Não à Violência" foi passada aos estudantes por meio de um linguajar adequado para o entendimento dos mesmos, e dessa forma eles puderam compreender a importância de fazer “brincadeiras” sem discriminação, julgamentos, desprezo ao colega e xingamentos.

Por Rangel Vieira

quarta-feira, 27 de março de 2013

“Vinícius no Plural. Cultura e Saúde” no Complexo do Alemão


O Bairro Educador Complexo do Alemão, iniciou no dia 27 de março, a trilha educativa “Vinícius no Plural. Cultura e Saúde”, na Escola Municipal Professora Vera Saback Sampaio. A trilha foi planejada com as professoras de artes Catiane Soares, e da sala de leitura, Sheila Guedes, e com a coordenadora pedagógica  Andrea Narciso para ser desenvolvida com a turma 1601.


A turma do 6º ano irá estudar a vida e obra de Vinícius de Moraes e discutir questões sobre alimentação saudável para serem apresentadas no “Degusta Alemão! 4 Edição”. Os estudantes irão produzir uma paródia da música Garota de Ipanema, falando sobre alimentação saudável e irão expor no "Degusta Alemão 4" saladas de frutas temáticas.

No marco zero da trilha educativa foram avaliados os conhecimentos prévios do diplomata, dramaturgo, jornalista, poeta e compositor brasileiro Vinícius de Moraes, através do samba-enredo de 2013 da escola de samba União da Ilha. Durante o desenvolvimento das atividades da trilha os estudantes receberam máscara de carnaval, para entrar no "clima" desta festa popular.

Após a apresentação, a turma identificou o homenageado, o trabalho realizado por ele e muitos ficaram surpresos ao descobrirem que conheciam algumas músicas de Vinícius. Visando a interação com a família e responsáveis da turma, a atividade foi finalizada com a tarefa de pesquisar outras músicas compostas por ele que serão apresentadas no próximo encontro entre o Bairro Educador e a professora de artes.

Por Rivânia Lima

Famílias junto à vida escolar


O BE Inhoaíba junto à coordenadora pedagógica do CIEP Armindo Marcíclio Doutel de Andrade realizaram no dia 27 de março o primeiro encontro do Núcleo de Famílias, com os responsáveis pelos estudantes. O encontro teve como objetivo promover a integração entre o grupo e, através de uma dinâmica, foi trabalhada a temática sobre a família.


Como pontapé inicial para a formação de um Núcleo de Famílias foi criado um quadro com as sugestões de temas a serem debatidos durante os encontros, e foi estabelecido um termo de compromisso entre os responsáveis.


Os responsáveis ficaram entusiasmados por terem um espaço onde eles são o público alvo e onde poderão trocar ideias e terem mais informações sobre a escola e temas afins.

O Bairro Educador agradece aos responsáveis que compareceram ao encontro e a parceria da equipe gestora da unidade escolar em promover um espaço dedicado às famílias.
Por Ana Gabriela Ribeiro

Aprendendo mais sobre a história da páscoa

Os estudantes das turmas de Educação Infantil da Escola Municipal Morro dos Telégrafos, BE Mangueira, participaram na quarta-feira, dia 27 de março, da primeira contação de histórias deste ano letivo.


A contação de história, realizada pela gestora de projeto do Bairro Educador, aborda os conteúdos trabalhados pelas professoras em sala de aula. Desta forma, o tema em questão foi a páscoa e por isso, foi feita um roda de conversa sobre a história da páscoa e dos ovos de chocolate, baseada no livro “O Coelho e a Raposa”.


A semana da Escola Municipal Morro dos Telégrafos foi voltada para a comemoração da páscoa e por isso, os estudantes exibiram no muram da escola trabalhos relacionados a esta temática.


Por Priscilla Babo

Parceria com o Centro de Referência da Mulher


Aconteceu no Centro de Referência da Mulher de Manguinhos, no dia 27 de março, uma mini reunião de rede, envolvendo o Bairro Educador Jacaré/Jacarezinho, Programa Saúde na Escola e uma mãe voluntária do CIEP Vinicius de Moraes – um dos CIEPs constituintes do BE em questão –, além dos profissionais de pedagogia, assistência social e psicologia.

Durante a reunião foram apresentados os âmbitos de atuação do Centro de Referência, que é mantido pela Sub-Secretaria do Estado de Assistência à Mulher; bem como, as possibilidades de parceria entre os três participantes.

A partir da conversa e da mini rede iniciada, o Centro de Referência da Mulher se tornou parceiro do Bairro Educador e das unidades escolares constituintes do BE Jacaré/Jacarezinho.

Em relação ao CIEP Chanceler Willy Brandt, que já possui um núcleo de mães organizado e atuante, o parceiro irá auxiliar nas reuniões. Quanto ao CIEP Vinicius de Moraes, que está formando seu núcleo, a partir do fomento do Bairro Educador, o Centro de Referência irá auxiliá-lo na constituição do mesmo. As reuniões permite a atuação conjunta em ambas as unidades escolares.

                Por Jéssica Tâmara e Priscilla Babo

Clube de leitura trabalha atividades ligadas ao universo literário

O Bairro Educador Campo Grande mobilizou os estudantes da Escola Municipal Constantino Magalhães, no dia 27 de março,  para participarem do “Clube de leitura”.


Através da dinâmica de “perguntas e respostas”, foi trabalhado o poema “Jogo de Bola”, da escritora Cecília Meireles. O texto foi lido de duas formas diferentes pela gestora de projeto do BE, onde os estudantes puderam perceber a diferença de entonação e posteriormente realizar a leitura do poema.

No término da leitura, os estudantes expressaram suas opiniões, interpretaram o poema e foi feita apresentação do projeto “Clube da Leitura”, que consiste em incentivar o gosto por falar, ouvir, criar poesia e, além disso, promove oficinas de contação de histórias que mexem com a imaginação dos estudantes.

Mensalmente serão trabalhadas durante as oficinas, a biografia e produções literárias de diferentes autores, incentivando o envolvimento dos alunos que serão instigados a imaginar e criar. Este projeto proporciona aos estudantes um contato maior com livros, estimulando o hábito pela leitura.

Por Bárbara Brandão

Aprender a ser diferente é saudável


A Cia Híbrida de Dança em parceria com o Bairro Educador Maré, apresentou no dia 27 de março, para os estudantes do CIEP Elis Regina o espetáculo teatral Paulinho Paulão, que explica como conviver com as diferenças.


O espetáculo que mistura teatro e dança levou para os estudantes outra visão sobre a saúde, já que este é o tema que a escola vem trabalhando neste ano letivo.


De acordo com a direção escolar, a saúde está relacionada ao bom convívio, a não violência verbal e ao fim do bullying, que são umas das atitudes fundamentais para uma boa saúde psicológica que depende também da educação, do entretenimento e do direito à cidadania.


A Cia Híbrida apresentou seu trabalho no pátio da escola para um público de cerca de 160 estudantes, além de professores, diretores e funcionários. O Bairro Educador Maré agradece à Cia Híbrida por levar este espetáculo para os estudantes do CIEP e à Comlurb que providenciou transporte para o deslocamento dos artistas.

Por Marcio Garcia


Escola sedia exposição que conta a história do Rio de Janeiro


A Escola Municipal Francisco de Paula Brito, BE Rocinha, sediou no dia 27 de março uma exposição sobre a cidade do Rio de Janeiro. Este trabalho foi fruto de dedicação da unidade escolar, que contou com o apoio do Bairro Educador para elaborar uma atividade que integrasse toda a comunidade escolar.



As turmas prepararam artesanatos, cartazes, maquetes e vídeos que compuseram a exposição.  As produções retratavam a cidade do Rio de Janeiro de acordo com o olhar dos estudantes. Foram destacados os pontos turísticos da cidade e sua importância histórica e política.


Os estudantes do turno da tarde fizeram apresentações musicais e de expressão corporal, através da dança. Foram encenadas músicas de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinicius de Moraes.


A exposição apresentou uma diversidade de olhares e produções sobre a cidade do Rio de Janeiro. Além disso, oportunizou a comunidade escolar uma integração e aprendizagem coletiva. Também proporcionou que os responsáveis acompanhassem todo o trabalho de produção dos estudantes.

Amanda Santos

55 anos de dedicação ao ensino


Foi comemorado, no dia 27 de março, o 55º aniversário da Escola Municipal Cornélio Pena (BE Irajá), fundada em 1958. A escolha do nome da escola é uma homenagem ao romancista, pintor, desenhista e jornalista Cornélio Penna. O escritor foi uma das figuras mais emblemáticas da segunda fase do modernismo no Brasil, e é considerado o criador do realismo psicológico brasileiro. O escritor faleceu no dia 12 de fevereiro de 1958, às vésperas da fundação da escola municipal.


Direção, equipe docente e todos os 320 estudantes da unidade escolar participaram das comemorações. O dia começou com diversas homenagens à instituição, realizadas pela turma 1201, que declamou o poema “A escola que eu quero”. Já as turmas 1501 e 1502 cantaram a música de Vinicius de Moraes, “A casa”, em ritmo de funk.



Os alunos ensaiaram a música durante a atividade “Música na Escola”, da trilha educativa “De tudo ao meu amor serei atento...”. A trilha, elaborada pela gestora de projeto do BE, tem como temática o planejamento da escola em torno do centenário do “poetinha” (forma como Vinícius era conhecido). A trilha educativa integra também a temática “Amor”, um dos eixos constituintes do Projeto Pedagógico Anual (PPA) da escola, trabalhado neste bimestre.


O projeto Bairro Educador parabeniza a escola Municipal Cornélio Pena pelos seus 55 anos e todo o trabalho e dedicação ao ensino em prol da formação de cidadãos.


Por Fernanda Souza

Com auxílio de projetos PEA traz alunos de volta às salas de aula


Matéria publicada pelo Jornal Meia Hora - 25/03/2013

Batalha do Passinho no CIEP Thomas Jefferson


O Bairro Educador Realengo/Magalhães Bastos em parceria com o Grupo de Dança Jovens de Periferia e o DJ Denilson, realizou no dia 27 de março, a I Batalha do Passinho do CIEP Thomas Jefferson.


         A Batalha do Passinho no CIEP Thomas Jefferson faz parte do “Circuito das Batalhas do Passinho Bairro Educador Realengo/Magalhães Bastos”, que ocorrerá em 4 escolas do bairro (CIEP Thomas Jefferson; na E. M. Lima Barreto; na E. M. Presidente Roosevelt e E.M. Costa do Marfim).


        O movimento cultural ocorrerá em cada escola e os alunos finalistas representantes das unidades escolares participarão no dia 20 de abril na quadra da E.M. Costa do Marfim da Batalha do Passinho do I Seminário de Danças Urbanas do RJ-DNA Carioca.


        Antes do início das Batalhas, André Araújo, integrante do Grupo Jovens de Periferia, fez um aquecimento através de atividades físicas com os participantes. Empolgados os alunos cantavam e dançavam no ritmo do Funk.


Os alunos ‘’batalharam’’ e os jurados votavam de acordo com as técnicas desenvolvidas por eles nas danças. Os cinco finalistas receberam medalhas. Os três primeiros também ganharam CDs de músicas e garantiram a participação no I Seminário de Dança do RJ-DNA Carioca.

Por Carmen Rosane



Colóquio Internacional de Ciências Sociais da Educação


A Universidade do Minho, localizada na cidade portuguesa de Braga, sediou nos dias 25, 26 e 27 de março, o I Colóquio Internacional de Ciências Sociais da Educação, em paralelo ao III Encontro de Sociologia da Educação, que teve como tema o “Não-formal e o Informal em Educação: Centralidades e Periferias” e contou com a participação do gestor de núcleo do projeto Bairro Educador Adriano Araújo, que representou o CIEDS (instituição executora do projeto).


O Colóquio foi uma promoção do Departamento de Ciências Sociais da Educação da Universidade do Minho, da Seção de Sociologia da Educação da Associação Portuguesa de Sociologia e da Asociación de Sociologia de la Educación, da Espanha.

O CIEDS fez-se representar através do texto enviado e aprovado, produzido por Adriano Araújo, em parceria com a coordenadora geral do Projeto Bairro Educador, Marcia Florêncio. O texto relata o início de um estudo de caso abordando o processo de educação não-formal desenvolvido pelo projeto Bairro Educador junto ao CIEP Doutor Adão Pereira Nunes, em Irajá, zona norte da cidade do Rio de Janeiro. A íntegra do texto pode ser consultada no link: http://migre.me/dNaDN.


O Colóquio reuniu pesquisadores e representantes de instituições de Portugal, Espanha, Inglaterra e Brasil, tendo como objetivo discutir e apresentar informações relativas aos processos de educação não restrita às escolas, mesmo que em diálogo e em parceria com essas.

Na abertura do Colóquio, o professor Alan Rogers, da Universidade de East Anglia (Norwich, Inglaterra) apresentou a conferência “Everyday learning and education: exploring the relationship between these two filds”. Rogers argumentou que a educação e aprendizagem são conceitos diferenciados, onde a primeira é uma espécie de aprendizagem processada pelos espaços formais, como a escola e as universidades, e a segunda é encontrada em estado bruto, na vida, nas relações sociopolíticas, nas brincadeiras, nas manifestações religiosas, culturais, estéticas, nos saberes populares, constituindo-se, portanto como matéria-prima da primeira. Uns dos desafios, apresentados pelo pesquisador inglês, refere-se a avaliação do processo de aprendizagem não-formal e informal, já que, por definição, são de natureza mais inconsciente do que consciente. “A Educação não-formal e informal são como a respiração, embora não tenhamos consciência, ela está a se processar e a manifestar seus efeitos vitais”, disse Alan Rogers.


O Colóquio foi organizado em conferências, painéis de discussão e comunicações, onde mais de 300 inscritos divulgaram o resultado dos trabalhos desenvolvidos em vários países. Os brasileiros participaram ativamente de todo o Colóquio, seja nas comunicações, seja nas participações diretas feitas durante todo o encontro, a ponto de, ao término deste, umas das falas finais foi de agradecimento aos participantes brasileiros, por suas contribuições.


Para o Projeto Bairro Educador, o Colóquio foi uma forma de ampliar os horizontes conceituais e de experiências sobre um caminho de educação integral em que o CIEDS vem assumindo o protagonismo no Rio de Janeiro.

Por Adriano Araujo

Contação de história visa ampliar vocabulário de alunos

A contadora de histórias da 6ª CRE e parceira do BE Coelho Neto, Débora Belloni, realizou no dia 27 de março, a atividade de contação de histórias para os estudantes da turma 1503 da Escola Municipal Virgílio Francisco Monteiro. Débora trabalhou com os estudantes o conto popular “Pescador, anel e Rei”.


O conto trata da importância do respeito às diferenças, valorizando a questão da humildade e fala sobre a persistência diante dos objetivos para a realização pessoal. A atividade tem como finalidade incentivar o gosto pela leitura, ampliar o vocabulário, estimular a criatividade, curiosidade e imaginação dos estudantes, despertando neles o hábito pela leitura.

Nos próximos encontros serão exibidos vídeos que abordam o tema família. Além disso, os estudantes e seus responsáveis participarão de uma palestra com uma psicóloga e com uma nutricionista que falará sobre a importância de da alimentação saudável para a qualidade de vida.

Por Cristina Santos

Venha prestigiar


“As canções que você dançou para mim”

Um grupo de 15 pessoas, dentre responsáveis e estudantes da Escola Municipal Zilda Nunes da Costa (BE Pavuna) assistiram, no dia 27 de março, a peça teatral “As canções que você dançou para mim”, na Arena Jovelina Pérola Negra, no bairro da Pavuna


O espetáculo, dirigido e coreografado por Alex Neoral e produzido pela Focus Companhia de Dança, conta a história de quatro casais que cantam, dançam e interpretam um repertório de 72 canções do cantor Roberto Carlos. O trabalho homenageia alguns sucessos do cantor como: "Detalhes", "Outra vez", "Desabafo", "Cama e mesa", "O calhambeque", entre outros que misturam e exaltam sentimentos.


O Bairro Educador acredita que atividades como essas se transformam numa oportunidade de integração entre estudantes, escola e responsáveis, além de servirem como um estímulo à valorização dos equipamentos de cultura e arte do bairro.



O Projeto Bairro Educador Pavuna agradece ao apoio da mãe responsável, Marília Cecília, sempre presente em momentos como esses e que vem assumindo cada vez mais o papel de articuladora comunitária ao lado do projeto, bem como os representantes, da Arena da Pavuna, pela oportunidade de acesso aos bens culturais do bairro.

Por Déborah Sobrino

Alunos fazem passeio virtual ao bairro do Catumbi


Movidos pelo PPP - Projeto Político Pedagógico da escola – Identidade Catumbi – que visa o resgate cultural e valorização do bairro, o BE Catumbi, em parceria com o corpo docente da Escola Municipal Catumbi, representado pela coordenadora pedagógica Gisele Reigoto prepararam no dia 25 de março um passeio virtual pelo bairro, por meio da ferramenta Google Maps.



Auxiliados pelas professoras Sara Buas (sala de leitura) e a professora Jussara Olinev (artes cênicas) que vêm adaptando, desenvolvendo e produzindo conteúdos temáticos em suas aulas, os estudantes têm vivido um clima de estranheza e contentamento ao falar do bairro onde vivem. Desenhos sobre o bairro, fotografias antigas, acrósticos com a palavra Catumbi e entrevistas com os familiares sobre determinadas brincadeiras têm fomentado curiosidade e impulsionado os estudantes na busca por conhecer mais sobre o local onde estudam.



Para começar a trabalhar com os estudantes das turmas de 3º ano as questões ligadas ao bairro do Catumbi, foram feitos questionamentos sobre o que eles conheciam no bairro. A maioria citou alguns pontos do bairro como: “- a Igreja de Salette, a Apoteose, a escola, a chaminé, o cemitério, o Morro da Mineira - o campo e o bar do Expedito especificamente -, o Banco e por último o supermercado”.


Recolhidas as informações, foram aproximadas as imagens aéreas da praça que fica em frente ao cemitério. Eles identificaram imediatamente a primeira imagem da projeção, comentando que conheciam o local e que já haviam passado por ali.

O mapeamento também contou com a visualização no formato panorâmico, que mostrou também a frente da unidade escolar, onde os estudantes, rapidamente reconheceram a imagem e se indagaram, se havia uma câmera em tempo real na porta da escola. Foram percorridos outros locais listados, tendo como ponto principal da atividade a entrada da comunidade da Mineira, local onde grande parte dos estudantes moram.


Através desta atividade, os estudantes tiveram a oportunidade de ver a própria comunidade com um outro olhar, a reconhecendo não como um local de más referencias, mas como um lugar de pertencimento.

A diretora, a coordenadora e as professoras foram unanimes nos comentários sobre a qualidade da atividade, e a importância da mesma para a formação de uma nova geração de moradores, principalmente, futuros admiradores do bairro. No final do passeio foram distribuídos bilhetes de autorização aos responsáveis para visita a outros locais na semana seguinte.

Por Hugo de Oliveira